terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Aprendendo sobre o amor

Ela achava que sabia de tudo sobre o amor.
Um dia o mundo decidiu cair sobre sua cabeça e o chão decidiu não sustentá-la.
E aí ela se viu sozinha. Desamparada. Amargurada. Triste. Sem forças. Sem Vida. Sem amor.
Viu todas suas folhas secarem e caírem.
E assim ficou por algum tempo, pois não aceitava as transformações que a vida estava lhe oferecendo.
Mas um dia ela tentou.
E aí ela entendeu que devemos saber até que ponto devemos esperar.
Que amor e atenção a gente não implora.
Que quem ama não diz a gente que ama outra pessoa.
Que quem ama cuida da gente.
Quem ama quer o nosso bem.
Quem ama quer ficar perto.
Quem ama fica junto em todas as situações.
Quem ama não dá desculpa.
Quem ama responde as suas ligações.
Quem ama responde as suas mensagens.
Mas também, quem ama erra.
E quem ama reconhece e pede perdão.
Quem ama muda.
E por fim, ela entendeu que se alguém errou, não assumiu e não pediu perdão
não sabe o que é amor. E entendeu também que, quando a gente ver o outro errar e tentar fazer o certo
e não reconhecemos, isso também não é amor.
O amor é feito de contrários, é dialético e não de perfeição.

Raíssa Paula Sena dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cadastre seu e-mail

Serviço Social Brasileiro